Passar para o Conteúdo Principal

PRAIAS

PRAIA FLUVIAL QUINTA DO BARCO

FOTO PRAIA

Ao abrigo do Decreto-Lei nº 135/2009 de 3 de junho, alterado pelo Decreto-Lei nº 113/2012 de 23 de maio, o procedimento de identificação de águas balneares decorre anualmente e inclui a realização de uma consulta pública, de 2 de janeiro a 2 de fevereiro, promovida pela Agência Portuguesa do Ambiente, I.P. (Autoridade Nacional da Água). A identificação das águas balneares tem a colaboração das autarquias locais e das entidades responsáveis por descargas no meio hídrico e no solo.

Praia com galardão Bandeira Azul e considerada uma Praia Acessível – praia para Todos!

Logo_Praia Acessivel              BA_logo_transparente copy        

A praia fluvial Quinta do Barco existe há mais de 20 anos e é uma praia de banhos, com uma qualidade de água classificada como excelente e uma praia vigiada durante toda a época balnear.

Duração da época balnear 2019: 29 de junho a 8 de setembro

Horário do Nadador salvador: 10:30 – 18:30

Edital de Praia: ver ficheiro

A zona balnear e a área envolvente dispõem das seguintes infraestruturas:

- Bar/Esplanada;

- Parque de merendas;

- Piscina flutuante;

- Chuveiros;

- WC Públicos;

- Parque de estacionamento;

- Ponto de água da rede pública;

- Posto/caixa de primeiros socorros;

- Rampas de acesso a pessoas com mobilidade reduzida;

- 2 Lugares estacionamento para pessoas com mobilidade reduzida;

Qualidade da Água de banhos: para além da afixação no painel da praia dos dados relativos à qualidade da água, esta também pode ser consultada on-line através do link https://snirh.apambiente.pt/index.php?idMain=1&idItem=2.1

qualidade da agua - imagem

É uma praia inserida numa zona de grande beleza paisagística, num cenário natural verdejante, num vale aberto e cheio de luz, que oferece aos banhistas todas as condições necessárias para usufruírem deste espaço de uma forma confortável, segura, divertida e saudável. O galardão “Bandeira Azul” atribuído desde 2011 e o galardão “Praia Acessível” atribuído desde 2006, confirmam a sua mais-valia em termos de cumprimento de vários requisitos de qualidade, nomeadamente a qualidade da água balnear (confirmada pela bandeira "Qualidade de Ouro" anteriormente já atribuída pela Quercus), a limpeza do espaço e a presença de apoios de praia e equipamento diverso para recreio.

O espelho de água é proporcionado pelo açude da Grela, que marca o início do Sítio de Importância Comunitária (SIC) “Rio Vouga” – Rede Natura 2000, que se estende por mais de 2769 hectares até Segadães (já no município de Águeda). Uma boa forma de conhecer este recanto é alugar uma canoa e “viajar pelo leito do vouguinha” ou explorar um dos percursos pedestre existentes, como por exemplo o Trilho dos Moinhos (7,7 Km Circular), que vai desde o lugar do Soutelo até ao Rio Vouga. Se a energia não for muita, pode aproveitar para caminhar simplesmente pela antiga linha de comboio, revitalizada como ecopista pedonal e ciclável e que sita a escassos metros da praia. Na Margem esquerda existe um restaurante, com o mesmo nome da praia, Quinta do Barco, onde é possível degustar uma variedade de pratos, nomeadamente a espetada de polvo e o gelado de mirtilo.

PROGRAMA BANDEIRA AZUL – TEMA DO ANO 2019 “DO RIO AO MAR SEM LIXO”

 

O Programa Bandeira Azul é um Programa de educação para o Desenvolvimento Sustentável promovido em Portugal pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), Secção Portuguesa da Fundação de Educação Ambiental (FEE).

Tem como objetivo educar para o desenvolvimento sustentável em praias costeiras, fluviais e lacustres, portos de recreio ou marinas e embarcações ecoturísticas que se candidatam e que cumprem um conjunto de critérios, nomeadamente: Informação e Educação Ambiental; Qualidade da água; Gestão ambiental e Segurança e serviços.

A Bandeira Azul é um símbolo de qualidade atribuído anualmente às praias, marinas e embarcações que distingue o esforço de diversas entidades em tornar possível a coexistência do desenvolvimento local a par do respeito pelo ambiente, elevando o grau de consciencialização dos cidadãos em geral, e dos decisores em particular, para a necessidade de se proteger o ambiente marinho, costeiro e lacustre, em prol de um bem comum – planeta Terra!

Mais informação no site:  https://bandeiraazul.abae.pt/

 

 PAINEL PRAIA

O PROGRAMA “PRAIA ACESSÍVEL - PRAIA PARA TODOS!” desenvolve-se no terreno desde 2005, no âmbito de uma parceria institucional, ao nível da Administração Central do Estado, que reúne o Instituto Nacional para a Reabilitação - INR, I.P. (então Secretariado Nacional para a Reabilitação e Integração das Pessoas com Deficiência - SNRIPD), a Agência Portuguesa do Ambiente - APA, I.P. (então Instituto da Água - INAG) e o Turismo de Portugal, I.P., e que, até 2007, incluiu o Instituto do Emprego e Formação Profissional - IEFP, I.P…

Este Programa promove o cumprimento da legislação sobre acessibilidade, designadamente o disposto nas normas técnicas aprovadas pelo Decreto-Lei n.º 163/2006, de 8 de agosto (regime de acessibilidade), bem como da Lei n.º 46/2006, de 28 de Agosto (Lei da não discriminação) e da Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, ratificada por Portugal em 2009 - pretende-se que cada vez mais praias passem a assegurar condições de acessibilidade e de serviços que viabilizem a sua utilização e desfrute, com equidade, dignidade, segurança, conforto, independência e a maior autonomia possível, por todas as pessoas, independentemente da sua idade e de possíveis dificuldades de locomoção ou outras incapacidades que condicionem a sua mobilidade.

FOTO CADEIRA ANFÍBIA

No âmbito de uma candidatura da praia fluvial ao Programa Praia Saudável promovido pela Fundação Vodafone, foi atribuído à autarquia uma cadeira anfíbia, também conhecida por tiralô, com vista a facilitar o acesso a banhos de utentes com dificuldade de mobilidade.

Mais informação em:

Para uma zona balnear ser considerada acessível deverão estar garantidas as seguintes condições imperativas:

-  Ter fácil acesso pedonal e estacionamento ordenado e reservado

foto 1

  

Garantir o acesso de nível ao areal / zona balnear através de rampas


 foto 2

Implantar passadeiras até à zona de toldos e outros equipamentos e o mais próximo da água possível

Foto 3

 

As passadeiras devem permitir o acesso aos serviços de praia (bar, restaurantes, posto de socorros, instalações sanitárias) e ainda, à zona de toldos.

 

Disponibilizar instalações sanitárias adaptadas e situadas em local de fácil acesso

 

Foto 4

 

Garantir o acesso ao serviço de primeiros socorros

 

 Foto 5

RISCOS INERENTES À ZONA BALNEAR

A zona balnear em causa, trata-se de um Rio e sendo assim o seu leito pode apresentar perigos desconhecidos, os quais podem ser originados de um ano para o outro, como por exemplo fundões abertos pela corrente. O fundo também pode esconder diverso tipo de material submerso, restos de árvores e outros que foram arrastados pela corrente.

É necessário ter a perceção de que a água doce não tem a mesma flutuabilidade que tem a água do mar. A ausência da agitação que se encontra nas praias costeiras pode induzir nos utentes, crianças e acompanhantes, a falsa sensação de segurança, podendo ser um fator de risco.

Muitos dos casos de afogamento são devidos à irresponsabilidade dos banhistas, que têm confiança a mais nas suas capacidades, sem ter o devido respeito pelo Rio, ou pela sinalização.

 

BANDEIRAS DE SINAIS

  • Bandeira verdePode nadar e tomar banho (desde que cumprindo todas as regras de segurança)
  • Bandeira amarela – Proibido nadar (pode tomar banho)
  • Bandeira vermelha – Proibido entrar na água
  • Bandeira xadrez Azul e branca – Praia temporariamente sem vigilância

 

RECOMENDAÇÕES PREVENTIVAS DA DOENÇA SÚBITA:

  • Evite o choque térmico, molhando-se progressivamente;
  • Respeite um intervalo de 3 horas após uma refeição normal, antes de tomar banho;
  • Nunca tome banho e/ou nade sob o efeito de drogas ou álcool;
  • Previna a desidratação e a hipoglicémia pela ingestão espaçada de bebidas não alcoólicas e alimentos frescos.

 

Na praia, como no dia-a-dia, o bom senso é sempre um bom conselheiro ("mais vale prevenir do que remediar")!

Na água

- Respeite sempre as indicações do nadador-salvador e a sinalização existente.

- Evite situações de risco, o rio não se domina. Em situações difíceis mantenha a calma.

- Não hesite, peça ajuda, fazendo o sinal Internacional: agitar os braços estendidos na vertical.

- Seja prudente e reserve cerca de 3 horas para a digestão.

Ao Sol

- Faça uma exposição progressiva, começando por períodos curtos nos primeiros dias.

- Evite expor-se ao sol durante as horas de maior radiação – período das 11:00 às 15:00 horas.

- Antes de tomar banhos de sol, não usar perfumes ou cosméticos que contenham álcool.

- Aplicar protetor solar 30 minutos antes de se expor ao sol e, após um banho, aplicar de novo o protetor solar.

- Alguns medicamentos podem agravar os efeitos dos raios solares, informe-se com o seu médico.

- Se observar alguma "mancha" ou algum tipo de sinal estranho na pele, consulte o seu médico.

- Não se esqueça de beber muitos líquidos e de preferência água;

 

CONTACTOS ÚTEIS:

- INEM: 112

- Serviço Municipal de Proteção Civil: 234 555 566/ 918 279 894

- Bombeiros voluntários de Sever do Vouga: 234 555 738

- Posto GNR: 234 551 225

- Centro de Saúde de Sever do Vouga (Horário: semana 20h00 às 23h00; fds 08h00 às 20h00): 234 590 450

- Posto Médico de Sever do Vouga: 234 590 450

- Posto Médico de Paradela: 234 552 264

- Posto Médico de Pessegueiro do Vouga: 234 551 518

- Farmácia Vouga: 234 551 176

- Farmácia Terra: 234 558 304

- Farmácia Martins: 234 551 242

 

Edital - Português

Edital - Inglês