Passar para o Conteúdo Principal

Camané à conversa no Centro das Artes

Co 082018   conversa camane 1 1024 2500
15 Fevereiro 2018

O fadista Camané esteve à conversa com os vencedores do passatempo que o Centro das Artes e do Espectáculo dinamizou na sua página do Facebook e em parceria com a Rádio Terranova. O grupo teve a oportunidade de encontrar-se com o artista, após o ensaio geral, além de ganhar bilhetes para assistir gratuitamente ao concerto daquela noite que encheu o auditório.

 

O fadista veio apresentar o seu mais recente álbum “Camané canta Marceneiro”, uma sentida e justa homenagem a um dos maiores nomes do Fado. “As músicas dele são incríveis. São simples, mas com uma personalidade melódica fantástica”, afirmou Camané que recordou os seus primeiros passos no Fado e as dificuldades do início da carreira, numa altura em que o Fado não era valorizado. “Sempre achei que o fado tinha uma qualidade extrema, sendo capaz de reinventar-se ao longo dos anos”, explicou.

 

Sobre os modismos a que assistimos, Camané lembrou que o Fado é algo único e especial. “Os artistas a sério não vão para o fado para serem famosos. Vão para fazerem algo muito bom. A fama é consequência”, afirmou, garantindo que “só permanece o que é de verdade”.

 

Esta não foi a primeira vez que Camané veio a Sever do Vouga. Depois de 14 anos, voltou a pisar o palco do Centro das Artes e do Espectáculo. O sentimento de amor ao fado permanece o mesmo, garante o fadista. Mas então, o que separa o Camané de antes para o de agora? “A forma como me entrego ao público. Ao longo dos anos aprendi a pensar menos em mim. Quanto menos estiver obcecado comigo mesmo, mais consigo chegar às pessoas. Sair de mim e tocar as pessoas. Isto também é humildade”, afirma.

 

O Centro das Artes e do Espectáculo agradece a todos os que participaram e partilharam momentos de "maior intimidade" com este grande nome do Fado.