Passar para o Conteúdo Principal

Feira do Mirtilo é o culminar de um trabalho desenvolvido ao longo do ano

Co 542019   feira mirtilo balanco 1 1024 2500
01 Julho 2019

Milhares de pessoas estiveram em Sever do Vouga, entre os dias 27 e 30 de junho, para visitar a Feira Nacional do Mirtilo. A iniciativa, que vai na sua 12.ª edição, reuniu cerca de 100 expositores e mais de 60 atividades técnicas e lúdicas dirigidas aos profissionais do setor e famílias.

Organizada pela Câmara Municipal de Sever do Vouga, em parceria com a aGim-Associação para os Pequenos Frutos e Inovação Empresarial, a Feira Nacional do Mirtilo proporciona uma dinâmica que vai além dos quatro dias da feira e que consolida as marcas “Mirtilo de Sever do Vouga” e “Capital do Mirtilo”. O evento tem ainda a capacidade de mobilizar a comunidade, desafiando os agentes locais a criarem novas soluções de negócios, produtos e serviços, com base no mirtilo.

“A Feira Nacional do Mirtilo é o culminar de um trabalho desenvolvido ao longo de todo o ano. É a parte mais visível de uma estratégia sustentada de desenvolvimento e consolidação de uma marca territorial que abrange áreas como a agricultura, ordenamento de território, turismo, gastronomia, economia, cultura, inovação, educação e outras”, afirma o presidente da Câmara Municipal de Sever do Vouga, António Coutinho, acrescentando que, este ano, "a feira superou as expetativas e foram muitos os produtores, cujo estoque esgotou antes do encerramento do certame".

Única no país a divulgar o mirtilo, a feira é vista como um exemplo para a agricultura e para o turismo pelas entidades do setor. Presente na abertura do certame, a Direção Regional de Agricultura e Pescas do Centro, através do seu diretor Fernando Martins, reconheceu o trabalho feito nos últimos anos. “O trabalho desenvolvido tem conseguido transformar essa marca de território em rendimento, em criação de riqueza, desenvolvimento, humanização e modificação da paisagem. E tudo isto constitui um fator de atração turística”, afirmou. Opinião corroborada por Pedro Machado, presidente da Turismo Centro de Portugal que vê a feira como “um ativo diferenciador na oferta turística da Região Centro”.

Com uma área de produção superior aos 150 hectares e 180 produtores a produzirem 150 toneladas de fruto por ano, sem contabilizar o que é vendido para a transformação, Sever do Vouga tem vindo a mostrar o porquê de ser a “Capital do Mirtilo”.