Passar para o Conteúdo Principal

Feira Nacional do Mirtilo é aposta para manter

Co 352019   feira do mirtilo  2  1 1024 2500
Co 352019   feira do mirtilo  3  1 1024 2500
19 Junho 2019

Entre os dias 27 e 30 de junho, regressa ao Parque Urbano da Vila de Sever do Vouga a Feira Nacional do Mirtilo. A 12.ª edição do certame, em que estarão presentes cerca de 100 expositores, traz mais de 60 atividades para quem visitar a “Capital do Mirtilo” durante os quatro dias da iniciativa.

 

Com um orçamento que se aproxima dos 200 mil euros, a Câmara Municipal de Sever do Vouga, organizadora da feira, em parceria com a aGim-Associação para os pequenos frutos e inovação empresarial, defende que o evento é um forte contributo para o desenvolvimento sustentado do território. Durante a apresentação da feira à comunicação social, o presidente da Câmara, António Coutinho, falou sobre como a cultura do mirtilo alterou a paisagem do Município, defendendo que há margem para o crescimento da produção. “Se antes os campos de mirtilo “perdiam-se” entre os eucaliptais, agora o visitante que vem a Sever do Vouga já vê os campos. Temos assistido a uma transformação do nosso território devido ao mirtilo, que tem contribuído para o seu ordenamento”, afirmou o edil severense.

 

Com 180 produtores, muitos deles com uma produção à escala micro, Sever do Vouga é responsável por vender mais de 150 toneladas de mirtilo por ano, sem contabilizar o fruto vendido para a transformação. “É possível Sever do Vouga crescer na produção do mirtilo, bem como Portugal de um modo geral”, defendeu António Coutinho, explicando que “se ao nível externo, a saída do fruto é boa, internamente o mesmo ainda não se verifica”, sublinhando que “os pequenos frutos estão, gradualmente, a entrar nos hábitos de consumo dos portugueses”.

 

Fatores que, na visão do autarca, justificam a aposta na iniciativa. “A feira tem como principais objetivos dar a conhecer a valorização de que o território de Sever do Vouga foi alvo nos últimos anos, divulgar o fruto e promover hábitos de consumo entre os portugueses. Por tudo isto e apesar de ser um esforço grande para um Município da nossa dimensão, a Feira Nacional do Mirtilo é um investimento no qual acreditamos”, explicou, acrescentando que a feira também contribui, e muito, para a divulgação das marcas “Sever do Vouga: Capital do Mirtilo” e “Mirtilo de Sever do Vouga”.

 

Conhecimento e animação

A feira proporciona um conjunto de palestras técnicas, nas tardes de sexta e sábado (dias 28 e 29), de participação gratuita, que irão abordar temas atuais e de interesse para quem esteja ou pretenda vir a estar na fileira do mirtilo e dos pequenos frutos. Às palestras, soma-se a área técnica dos expositores, com produtos, serviços, comercializadores de fruto e viveiristas. A visita profissional é complementada com visitas guiadas ao Campo Experimental de Pequenos Frutos e a plantações de mirtilos.

 

Além da componente técnica, há muito mais para ver e fazer, sendo a Feira Nacional do Mirtilo um convite de lazer para todas as idades. Além de poder saborear este pequeno fruto, seja em fresco ou transformado, os momentos de lazer estão garantidos. São mais de 60 atividades, entre elas, showcookings para crianças e adultos, animação itinerante pelo recinto, jogos tradicionais, área de animação infantil com insufláveis e pinturas faciais, bem como uma área de gastronomia e outra de artesanato e produtos regionais. No cartaz musical, com entrada gratuita, destaque para o cantor Toy, no dia 30 à tarde, a banda de tributo aos Abba, AbbaMia, no dia 29 à noite, e a sul-africana Nomfusi, no dia 28 à noite, no âmbito do Festim-Festival Intermunicipal de Músicas do Mundo. A Feira do Livro, na Biblioteca Municipal, e a viagem de comboio turístico pelo centro da vila, completam a visita de lazer a Sever do Vouga.

Programa