Passar para o Conteúdo Principal

“Espaços de Memória” convida à reflexão sobre a preservação da identidade local

Co 422018   espacos de memoria 1 1024 2500
05 Abril 2018

Trabalhar a relação existente entre a memória e o território, bem como a sua importância para a construção da identidade local é o que propõe “Espaços de Memória”. Nos dias 18 e 19 de maio, especialistas e comunidade são convidados a refletir sobre aquilo que distingue Sever do Vouga, tornando-o único: as suas gentes, saberes e tradições. Uma organização do Município de Sever do Vouga, dinamizada pelo Centro das Artes e do Espectáculo e pelo Museu Municipal.

 

Durante dois dias, a identidade do território e o papel da memória na sua formação vão ser explorados através de seis ações que vão percorrer diferentes espaços de cultura e vida do concelho de Sever do Vouga. A iniciativa insere-se no Ano Europeu do Património Cultural 2018 e decorre no âmbito do programa “Cultura em Rede – Região de Aveiro”. Afirmar a região como um destino turístico cultural, através dos recursos patrimoniais dos 11 municípios que integram a Comunidade Intermunicipal da Região da Aveiro é o objetivo do programa financiado pelo Centro2020.

 

A programação abre, no dia 18 de maio, sexta-feira, pelas 10h00, com o encontro “Espaços de Memória”, no Centro das Artes e do Espectáculo. O território como um espaço de memórias, testemunho e herança cultural é o mote para a comunidade, investigadores, professores e artistas refletirem sobre o papel de diferentes entidades na salvaguarda, preservação e divulgação do património. A sessão de abertura será feita pelo presidente da Câmara Municipal de Sever do Vouga, acompanhado por representantes da Direção Regional da Cultura do Centro e da Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro.

 

No final do dia, a coreógrafa Leonor Barata fará uma visita guiada pelo Museu Municipal. A performance assinala o 2.º aniversário deste equipamento cultural que tem como missão investigar, proteger e dar a conhecer o património concelhio e cujo trabalho foi premiado pela Associação Portuguesa de Museologia.

 

Na manhã de sábado, pelas 10h00, na Casa da Cultura de Couto de Esteves, há “Conversa com as gentes do rio”, em que as histórias e vivências da comunidade ribeirinha local vão ser partilhadas numa conversa informal, dinamizada pelo antropólogo Hugo Morango e pelo historiador Mário Silva. A tarde (14h00) continua na freguesia de Couto de Esteves, mais precisamente na Aldeia dos Amiais, que integra a rede das Aldeias de Portugal. Entre espigueiros e canastros, com vista para a Albufeira de Ribeiradio, os habitantes e a coreógrafa Leonor Barata convidam a (re)descobrir o espaço através de uma visita afetiva ao lugar.

 

O dia termina no Centro das Artes e do Espectáculo com arte e música. Pelas 20h00, é inaugurada a exposição MEMÓRIA(S), em que quase duas dezenas de artistas, com ligação a Sever do Vouga, partilham ideias, sensações e impressões criadas a partir de memórias. Recorrendo à fotografia, pintura, escultura, ilustração, vídeo, design, instalação, artesanato e também escrita, parte da história coletiva de Sever do Vouga será (re)construída.

 

Para fechar a programação, a cultura portuguesa será celebrada através da voz do cantautor Fausto que, pelas 21h30, apresenta o espetáculo “A Trilogia”. Um revisitar de sete canções de cada um dos discos que compõem a sua trilogia sobre a diáspora lusitana, cujos bilhetes estão à venda em Ticketline.

 

Para mais informações e inscrições nas ações, consulte a página na Internet criada para divulgação do evento (https://espacosdememorias.wordpress.com).